Azure AZ-900 Describe core resources available in Azure | Compute

Pedro Carvalho

Este é o segundo tópico do módulo “Describe Core Azure Services (15-20%)”.

Para encontrar todos outros posts para estudo da certificação Azure AZ-900 acesse:
Azure AZ-900: Microsoft Azure Fundamentals

Describe Core Azure Services (15-20%)

Describe core resources available in Azure

  • describe the benefits and usage of Virtual Machines, Azure App Services, Azure Container Instances (ACI), Azure Kubernetes Service (AKS), and Windows Virtual Desktop

fonte:
https://docs.microsoft.com/en-us/learn/modules/azure-compute-fundamentals/overview
https://docs.microsoft.com/en-us/azure/virtual-machines/windows/overview
https://docs.microsoft.com/en-us/azure/architecture/guide/technology-choices/compute-decision-tree

Screenshot of the Azure portal compute services page that includes VMs and containers.
algumas opções de recursos de compute

Vou separar os recursos por partes. Abaixo cada um deles estará um pouco mais detalhado.

Virtual Machines

fonte:
https://docs.microsoft.com/en-us/learn/modules/azure-compute-fundamentals/azure-virtual-machines

VMs é como se fosse um computador físico, mas na cloud. Isso significa que com uma VM você tem um computador, com memória, disco e sistema operacional disponível pra você fazer o que você quiser com ele.

definições macro de VM

VMs provê um ambiente IaaS (já falamos sobre IaaS no post passado), portanto, se você precisa de controle total do sistema operacional, VMs são sua melhor escolha. VMs é particularmente útil quando você precisa executar ou hospedar um software customizado.

Uma VM do Azure oferece a flexibilidade de virtualização sem você precisar comprar e manter o hardware físico pra isso. No entanto, você ainda precisa dar manutenção na VM, como realizar configurações, correção e instalação do software que roda nela.

Além do recurso computacional de Virtual Machine, existe um outro chamado Virtual machine scale sets. Esse recurso permite você implantar e gerenciar um conjunto de VMs idênticas. Com todas as VMs configuradas da mesma forma, os conjuntos de dimensionamento de máquinas virtuais são projetados para oferecer suporte à escala automática. Nenhum pré-provisionamento de VMs é necessário. Por esse motivo, é mais fácil construir serviços em grande escala visando big data e cargas de trabalho em contêiner. Conforme a demanda aumenta, mais instâncias de VM podem ser adicionadas. Conforme a demanda diminui, as instâncias de VM podem ser removidas. O processo pode ser manual, automatizado ou uma mistura dos dois.

Azure App Services

fonte:
https://docs.microsoft.com/en-us/azure/app-service/overview
https://docs.microsoft.com/en-us/learn/modules/azure-compute-fundamentals/azure-app-services

Apps Services funciona como PaaS. Diferente da VM onde você levanta o servidor e instala um serviço, no App Services você apenas escolhe qual serviço (web, mobile ou API) você quer e o resto fica transparente pra você, ou seja, você não precisa se preocupar em subir servidor, qual aplicação instalar, nem nada disso.

O Azure App Services é um serviço baseado em HTTP para hospedar aplicativos da web, APIs REST e back-ends de mobile na linguagem de programação que você escolher. Azure App Services ainda adiciona o poder do Azure ao seu aplicativo, como segurança, balanceamento de carga, escalonamento automático e gerenciamento automatizado. Você também pode tirar proveito dos recursos de DevOps, como implantação contínua do Azure DevOps, GitHub, Docker Hub e outras fontes, gerenciamento de pacotes, ambientes de preparação, domínio personalizado e certificados TLS / SSL.

Apps Services oferece escalonamento automático, e alta disponibilidade. Apps Services suporta Windows e Linux e habilita deploy automatizado vindos do GitHub, Azure DevOps ou qualquer outro repositório Git com suporte a “continuous deployment model”.

Você paga pelos serviços de compute que seu app usa do Azure enquanto seu app processa as requisições com base no plano que você escolheu. O plano escolhido para seu App Service determina quando de hardware sua app vai poder usar, se é um hardware dedicado ou compartilhado, quanto de memória tem reservado, etc. Existe até um tier gratuito no App Service que você pode usar pra apps pequenas e com poucos acessos.

Azure Container Instances (ACI)

fonte:
https://docs.microsoft.com/en-us/azure/container-instances/container-instances-overview
https://docs.microsoft.com/en-us/learn/modules/azure-compute-fundamentals/azure-container-services

Contêineres são gerenciados por meio de um orquestrador de contêineres, que pode iniciar, parar e dimensionar instâncias de aplicativos conforme necessário. Existem duas maneiras de gerenciar os contêineres na Azure: utilizando Azure Container Instances ou Azure Kubernetes Service (AKS).

Azure Container Instances (ACI) oferecem a maneira mais rápida e simples de executar um contêiner no Azure sem ter que gerenciar máquina virtual ou adotar quaisquer serviços adicionais. É uma oferta de plataforma como serviço (PaaS) que permite fazer upload de seus contêineres, que são executados para você.

Contêineres são ambientes de aplicativos virtualizados leves. Eles foram projetados para serem criados, dimensionados e interrompidos rapidamente de forma dinâmica. Você pode executar várias instâncias de um aplicativo em contêiner em uma única máquina host.

características de um container

ACI são uma ótima solução para qualquer cenário que possa operar em contêineres isolados, incluindo aplicativos simples, automação de tarefas e build jobs. Para cenários em que você precisa de orquestração de contêiner completa, incluindo descoberta de serviço em vários contêineres, dimensionamento automático e atualizações de aplicativo coordenadas, recomendamos o Azure Kubernetes Service (AKS).

Azure Kubernetes Service (AKS)

fonte:
https://docs.microsoft.com/en-us/azure/aks/intro-kubernetes
https://docs.microsoft.com/en-us/azure/aks/concepts-clusters-workloads

Contêineres são gerenciados por meio de um orquestrador de contêineres, que pode iniciar, parar e dimensionar instâncias de aplicativos conforme necessário. Existem duas maneiras de gerenciar os contêineres na Azure: utilizando Azure Container Instances ou Azure Kubernetes Service (AKS).

A tarefa de automatizar, gerenciar e interagir com um grande número de contêineres é conhecida como orquestração. O Azure Kubernetes Service é um serviço de orquestração completo para contêineres com arquiteturas distribuídas e grandes volumes de contêineres. A orquestração é a tarefa de automatizar e gerenciar um grande número de contêineres e como eles interagem.

Windows Virtual Desktop

fonte:
https://docs.microsoft.com/en-us/learn/modules/azure-compute-fundamentals/windows-virtual-desktop
https://docs.microsoft.com/en-us/azure/virtual-desktop/overview

O Windows Virtual Desktop no Azure é um serviço de virtualização de desktop executado na nuvem. Ele permite que seus usuários usem uma versão do Windows hospedada na nuvem a partir de qualquer local. O Windows Virtual Desktop funciona em dispositivos tipo Windows, Mac, iOS, Android e Linux. Funciona com aplicativos que você pode usar para acessar desktops e aplicativos remotos. Você também pode usar a maioria dos navegadores modernos para acessar seu Windows Virtual Desktop.

Pensa assim, você tem um time de desenvolvedores que trabalha remoto e enviar notebooks pra eles demora pra chegar e é caro, além do que o note pode ser perder nos correios. Esse é um bom cenário pra se implementar WVD. Usando o WVD o funcionário pode ser logar através de acesso remoto ou browser e funcionar como um thin-client (quem lembra disso? rs), deixando todo poder computacional no WVD, conexões, dados, dando mais segurança pra empresa de que nada será tirado da rede deles e nem nada será colocado “sem querer”. WVD ainda facilita o controle e gerenciamento do time de segurança na hora de aplicar politicas de segurança nas máquinas e na rede como um todo.

Benefícios e usos do Windows Virtual Desktop (WVD) são;
Melhor experiência para o usuário: você pode utilizar o WVD através do seu computador, ou usando um browser com suporte HTML5.
Menor tempo de load: como seus bancos de dados e apps estão na nuvem, seu desktop virtual também pode estar bem pertinho, diminuindo tempo de load, latência entre o desktop e os serviços que usa.
User profile sign-in: seu usuário fica na nuvem, então carregar seu usuário em um desktop virtual do WVD é bem rápido, não precisa ficar esperando o profile carregar como normalmente teria se você tivesse puxando um profile num desktop físico.
Maior segurança: você pode facilmente habilitar autenticação multi-factor (MFA) nos seus desktops virtuais e também pode dar permissões mais granulares com RBAC.

Referências

https://docs.microsoft.com/en-us/azure/azure-resource-manager/management/azure-subscription-service-limits

https://www.udemy.com/course/introducao-ao-microsoft-azure-certificacao-az-900/

https://www.exampro.co/az-900


Pedro Carvalho

Apaixonado por anlise de dados e Power BI

Deixe uma resposta

Inscreva-se em
nossa Newsletter

© 2021 Power BI Expert
× Como posso te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: